Os Animais silvestres, também conhecidos como animais selvagens, são animais que o seu habitat natural, desde o nascimento até sua plena vivência, envolve o ecossistema. Rios, oceanos e florestas são então a casa destes animais.

Devido à enorme biodiversidade brasileira, existem diversos animais silvestres nativos que são um tanto populares. São eles: papagaio, arara, capivara, boto, piranha, lagarto, jabuti, mico, tartaruga, tucano, periquito e outros.

Outros animais silvestres comumente conhecidos, mas que não fazem parte da fauna brasileira são leões, tigres, elefantes, pavões e cangurus.

A maior característica deste tipo de animal é a de que este foi socializado ao meio humano, ou seja, o homem o trouxe da natureza para a convivência humana.

Por esta razão, muitos possuem dificuldades de se reproduzir e crescer em um ambiente de cativeiro. Embora as exigências e os cuidados com esta categoria de animais sejam de nível extremo e cheio de restrições a serem seguidas, eles podem ser adotados e passar a conviver no meio humano.

Os criadores podem ser classificados entre:

  • comerciais;
  • amadores;
  • conservacionistas;
  • zoológicos;
  • entidades para fins científicos.

A Regularização ibama perante esses animais é séria e de extrema importância, e o descumprimento de qualquer passo pode configurar crime ambiental, bem como qualquer abuso ou maus tratos aos animais.

Diferentes animais que também podem ser configurados como silvestres: garça, sabiá, gambá, cachorro do mato, lagarto.

Só podem ser mantidos fora de seu habitat natural os animais cujo seus criadores sejam devidamente regularizados, legais e controlados pelo Instituo Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Caso contrário, a Penalização é severa, podendo inclusive levar à prisão. O comércio ilegal de animais silvestres é a terceira maior atividade ilícita do mundo.

Exige-se uma licença especial de criador cadastrado no instituto a fim de manter animais, como macacos, papagaios, araras, porquinhos da índia e corujas, por exemplo.

Cuidados essenciais

A adoção desses animais silvestres também apresenta necessidades especiais a cada um deles. Independente da espécie, todos precisam ter acesso à alimentação adequada, ambiente adequado para sua vivência, água com qualidade e em quantidades certas.

É preciso respeitar a particularidade de cada animal e a qual espécie ele pertence, para que os Cuidados com animais silvestres sejam únicos e exemplares.

As aves, embora populares, precisam de cativeiros adequados. Gaiolas com espaços pequenos e apertados desencadeiam uma série de problemas de saúde, como atrofia dos membros, questões digestivas e obesidade. O ambiente precisa ser grande o suficiente para garantir a essa espécie uma boa qualidade de vida fora do seu habitat natural.

Ainda é preciso ter cuidado com a mudança repentina de temperatura, umidade e deixar o ambiente em boas condições de higiene.

Os mamíferos, por exemplo, precisam de proteção da luz solar em sua moradia. Além do controle da temperatura ambiente, higienização do local e alimentação coerente ao porte do animal, também é necessário privacidade.

Por fim, os répteis necessitam de atenção quanto ao banho de sol. Tartarugas e jabutis, se mantidos dentro de aquários, devem, sempre que possível, estar em contato com luzes específicas que simulam o raio ultra violeta.

As tartarugas aquáticas, por sua vez, precisam estar constantemente em um ambiente limpo e com temperatura controlada.

Outros casos de animais

A adoção de animais domésticos é mais comum e também dispõe de maior facilidade. Por se tratar de animais que estão acostumados a conviver com humanos, o processo de adoção, adaptação e dedicação é mais acessível.

Cães, gatos, cavalos, roedores, pássaros e galinhas estão dentro dessa categoria, independente de ter porte grande ou pequeno. São animais domesticados pelo homem.

Conhecidos também como animais de companhia, amigos do homem e até mesmo família, esses animais têm casos mais próximos de contato humano com a natureza.

Assim como os Animais exóticos, cada espécie tem características específicas e condições próprias para alimento e, claro, habitat.

Estes, por sua vez, podem ser classificados como aquele que também houve intervenção do homem, mas do próprio ambiente.

Animais que não são de determinada região, por exemplo, e foram trazidos – ou levados – a outras regiões geográficas propositalmente pelo homem.

Dentre a categoria em questão, podemos destacar: iguanas, tartarugas, peixes, serpentes, canários, chinchilas e hamsters. E até mesmo outros animais menos comuns, como aranhas, caranguejos, suricatas, sapos e doninhas.

Medidas necessárias para adotar animais silvestres
Classificado como:                

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *